Planos Estratégicos de Citymarketing

O denominado citymarketing coloca à disposição do líder local poderosas ferramentas para melhorar os processos de organização, desenvolver novos serviços, incrementar relações de intercâmbio para gerar maior valor ao município.

O citymarketing ou marketing das cidades fornece-nos meios concebidos para tornar eficientes as estratégias de intercâmbio entre a Câmara Municipal o seu produto que é a cidade ou concelho com o mercado a quem possa interessar a cidade. Estamos a falar de estratégias de promoção da imagem da cidade | concelho com vista à sua afirmação no espaço público para atrair visitantes e ou investidores.

As grandes cidades como Paris, Barcelona ou Londres, Nova Iorque, Pequim ou Rio de Janeiro desenvolvem planos potentes de promoção da imagem de cada uma. Concorrem entre si na organização própria de eventos ou na captação de outros.

Em Portugal os concelhos também concorrem entre si, em busca de uma afirmação superior. Um dos exemplos mais conhecidos de marketing de cidade é o concelho de Óbidos que conseguiu através da realização de eventos uma notoriedade invulgar capaz de captar um elevadíssimo número de visitantes. Óbidos, nos últimos anos, têm-se afirmado mais do que a maioria das capitais de distrito.

Trata-se de encarar o nome da cidade | concelho como uma marca que importa afirmar para vender.



Um Plano Estratégico de Citymarketing tem como principais objectivos:

  • Aumentar maximamente o grau de conhecimento sobre a cidade | concelho;
  • Desenvolver ou reformular os atributos da imagem da cidade | concelho, tendo em conta as suas potencialidades naturais, organizativas e socioeconómicas;
  • Aumentar a atractividade da cidade | concelho;
  • Impulsionar a identificação dos públicos alvo com a cidade | concelho;
  • Aumentar em termos internos o grau de identidade dos munícipes com a sua cidade | concelho;
  • Fortalecer a estrutura económica da cidade | concelho;
  • Melhorar a competitividade das empresas da cidade | concelho;
  • Melhorar o nível de vida dos habitantes;
  • Atrair turistas e empresários.

Conteúdos do Plano Estratégico de Citymarketing

Na linha do pensamento de Kotler, o plano começa por fazer um diagnóstico da cidade | concelho perspectivando os elementos tangíveis (localização, desenho, infra-estruturas, principais eventos, serviços e indústrias, com destaque para os de turismo, de cultura e de bem-estar, elementos potenciais de atratividade como os de carácter patrimonial e paisagístico) e os elementos intangíveis (valores e princípios específicos da cidadania, história, personalidades de relevo, informação e conhecimento, cultura).

Feito este diagnóstico podemos avançar para a classificação de atributos cognitivos da cidade | concelho tais como:
  • Recursos Naturais;
  • Infra-estruturas gerais;
  • Infra-estruturas turísticas;
  • Lazer e Bem-Estar;
  • Cultura, História e Arte;
  • Factores Económicos e Políticos;
  • Ambiente natural;
  • Ambiente social;
  • “Atmosfera” e “clima” do lugar.

A partir destes dados trata-se de definir estratégias que permitam:
  • Relançar a diferenciação dos atributos positivos da imagem global da cidade | concelho;
  • Propor uma imagem sustentada para o Município;
  • Propor planos de marketing específico para a realização de eventos de carácter desportivo, cultural, comercial etc.;
  • Promover a selectividade de públicos alvo bem definidos (estudantes, idosos, habitantes da Galiza etc.);
  • Indicar formas de conseguir eventos de carácter nacional e internacional.

Um produto da omnisinal

A coordenação da elaboração do plano é da responsabilidade de Custódio Oliveira, que conta para esse efeito com a colaboração especializada de técnicos da Omnisinal.
Scroll