Planos Estratégicos

Concepção e elaboração

Sem um plano de comunicação não existe comunicação municipal.

Para que a comunicação municipal exista ela necessita de ser coerente e assentar numa metodologia incontestável. Sem plano não é possível a coerência dos atos e a clareza metodológica.

Se uma Câmara Municipal assume o objectivo de comunicar este deve ser encarado como uma técnica profissional ao serviço da dinâmica de desenvolvimento. E não há profissionalismo em matéria de comunicação sem uma reflexão séria balizada pelo plano de comunicação.

Num município é tão importante fazer como saber que se faz. As lideranças municipais dependem daquilo que os munícipes saibam do que foi bem feito para serem reeleitas.

Como explicava o presidente da Câmara de Metz de 1971 a 2008, Jean-Marie Raucsch, “gerir é comunicar”.



O Plano Estratégico de Comunicação garante as seguintes vantagens:
  • Um quadro de referência e coerência às acções;
  • Valoriza o papel da comunicação na concretização dos objectivos políticos, sociais, culturais, desportivos, económicos e de desenvolvimento sustentado do município;
  • Permite um debate interno entre os líderes eleitos e com funções executivas sobre o papel da comunicação;
  • Facilita o controlo e a avaliação sobre os efeitos das decisões e realizações do município;
  • Fornece referências para uma comunicação pró-activa e dinâmica;
  • Reforça a afirmação da imagem e marca do município no espaço público globalizado;
  • Assegura gastos planeados, evitando custos imprevistos e de última hora normalmente mais elevados.

Aquilo que hoje se denomina de “marketing de cidades” tem uma notável relevância pelo facto de se tornar num instrumento poderoso de captação do turismo interno e externo e de inclusivamente atrair investimentos. O Plano Estratégico de Comunicação tem uma parte dedicada ao marketing de promoção das potencialidades do concelho.



Conteúdos do Plano Estratégico de Comunicação

Os conteúdos essenciais do plano resumem-se no seguinte:
  • Definição dos objectivos de comunicação em sintonia com os objectivos da Câmara Municipal;
  • Desenvolvimento dos conceitos de uma comunicação moderna e eficiente;
  • Diagnóstico e Análise da Comunicação no Município e no Concelho (meios, formas, conteúdos e orientação política). Trata-se de saber as informações que chegam aos munícipes e através de que meios;
  • Face ao diagnóstico definição de objectivos, propostas de estratégias, programação de meios e métodos de comunicar;
  • Programa de comunicação e marketing para afirmar no espaço público global as potencialidades do concelho, numa perspectiva de promoção turística e de atracção de investimentos;
  • A comunicação interna;
  • Como comunicar em situações especiais de crise - plano de comunicação de crise do município;
  • A comunicação em plataforma Internet - como tirar o máximo de rentabilidade destes meios.


Um produto Omnisinal


O Plano Estratégico de Comunicação é um produto da responsabilidade da Omnisinal, que recorre sempre que necessário a um instituto de sondagens para desenvolver o estudo da circulação da informação no interior de cada concelho.

A coordenação da elaboração do plano é da responsabilidade de Custódio Oliveira, que conta para esse efeito com a colaboração especializada de técnicos da Omnisinal.
Scroll