Notícia

Conheça a moeda virtual criada pelo Governo

O Governo está a oferecer uma criptomoeda aos cidadãos portugueses

25 de junho de 2018
Conheça a moeda virtual criada pelo Governo
O Governo está a "oferecer" uma criptomoeda aos cidadãos portugueses. Apesar de não terem qualquer valor, servem para "investir" nos 113 projetos a concurso no GovTech. Há prémios de 30.000 euros.
Já é conhecida a lista dos 113 projetos que vão participar no concurso GovTech, através do qual o Governo vai dar prémios de 30.000 euros a três empresas (e que também serve de projeto-piloto para testar a tecnologia blockchain). As votações arrancaram esta segunda-feira, com recurso à moeda virtual criada pelo Governo especificamente para este concurso. O Executivo quer, deste modo, encontrar protótipos e modelos de negócio com potencial para encarar alguns dos 17 maiores desafios mundiais da próxima década, com base na Agenda 2030 da ONU.

Foram recebidas 140 candidaturas mas só 113 foram consideradas elegíveis por já terem um protótipo funcional, para além de um modelo de negócio definido. “Estamos, em geral, muito sorridentes. Há projetos muito interessantes. Têm imensa qualidade”, disse ao ECO a secretária de Estado Adjunta e da Modernização, Graça Fonseca. Não foi, contudo, um número de candidaturas espontâneo. O Governo promoveu um roadshow e “a esmagadora maioria” foi convencida a candidatar-se.


Governo “oferece” criptomoeda

A partir do dia 25 de junho, e até 15 de setembro, é possível aos cidadãos portugueses votarem nos projetos que considerem ser mais interessantes. Funciona assim: ao registar-se no portal do concurso, recebe unidades de uma moeda virtual para poder coinvestir nas ideias que tenham mais potencial. Essa criptomoeda chama-se “GOVTECH” e foi criada pelo Governo português para este concurso — porém, as unidades não podem ser transacionadas nem têm valor monetário. Só funcionam no concurso e servem apenas para aplicar nos projetos.

Além do saldo inicial, é possível angariar crachás e mais moedas, convidando amigos a votarem no concurso, usando a Chave Móvel Digital como forma de autenticação ou participando em eventos associados ao GovTech. “Há muitas pessoas registadas no site. A nossa primeira perceção é de que as pessoas estão muito entusiasmadas com a ideia de participarem num mercado fechado, num marketplace“, conta Graça Fonseca.

O entusiasmo leva a que o GovTech seja visto como um concurso desafiante até para quem não concorre. “A pergunta é: ‘se tivesse este dinheiro para investir, onde o investiria?’ E há pessoas que já estão a acumular ‘GOVTECH’. Este modelo de incentivos está a ser utilizado”, sublinha a secretária de Estado.

Fonte: sapo.pt

Adicionar comentário

Subscreva a nossa newsletter

Mantenha-se atualizado(a) recebendo todas as últimas novidades no seu endereço eletrónico.