Notícia

AI poderá ocupar 20% de todos os empregos em cinco anos

As possibilidades de uso do ChatGPT são infinitas

30 de janeiro de 2023
ChatGPT
O lançamento do ChatGPT, um chatbot de inteligência artificial, no final do ano passado marcou uma nova era na inteligência artificial (IA) e provocou medos generalizados sobre o efeito da inteligência artificial no mercado de trabalho, revela o DailyMail.
As suas competências para escrever poemas, roteiros, fazer exames levou alguns especialistas a sugerir que este poderia assumir trabalhos de atendimento ao cliente, redacção e até mesmo a profissão jurídica.

«Acredito que o ChatGPT poderá substituir 20% da força de trabalho como está», disse o especialista em IA Richard DeVere, chefe de engenharia social da Ultima, ao DailyMail.

E acrescentou «não será um processo da noite para o dia em que os humanos serão automaticamente substituídos por robôs, primeiro será usado por pessoas menos experientes usam ferramentas de IA para ajudar suas tarefas diárias.»

A Microsoft investiu 10 mil milhões de euros no ChatGPT e disse que esta tecnologia mudará a forma como as pessoas interagem com os computadores.

Várias empresas já estão a utilizar soluções de inteligência artificial para automatizar trabalhos humano, como a Jounce AI, que promete «escrita gratuita e ilimitada de IA»

A organização DoNotPay está a usar o ChatGPT para defender as pessoas no tribunal contra multas por excesso de velocidade.

No Reino Unido, o ChatGPT conseguiu garantir um lugar numa lista restrita para uma entrevista de emprego (um dos apenas 20% a fazê-lo) ao concluir uma tarefa de redacção.

Richard DeVere disse que conhece várias pessoas que já estão a utilizar a tecnologia nos seus empregos e alerta que este é apenas no início da revolução da IA.

«As possibilidades de uso do ChatGPT são infinitas. Há exemplos de pessoas a usar a plataforma, desde aprender a consertar o carro até escrever código explícito para hacks.»

Mas Richard DeVere disse que, ao contrário de alguns alertas sobre a tecnologia, as pessoas nas profissões criativas devem estar seguras nos seus empregos, por enquanto. E que os profissionais criativos devem abraçar a tecnologia e usá-la para aumentar suas próprias competências.

Fonte: hrportugal.sapo.pt

Adicionar comentário

Subscreva a nossa newsletter

Mantenha-se atualizado(a) recebendo todas as últimas novidades no seu endereço eletrónico.